Profissionais de Saúde e Comunicação de Más Notícias: Experiências de uma Unidade Neonatal

Danielle da Costa Souto, Mariana Datria Schulze

Resumo


Este é um estudo descritivo, de abordagem qualitativa, que teve por objetivo investigar as experiências e formas de enfrentamento de profissionais de saúde diante da comunicação de más notícias em uma Unidade Neonatal. Utilizou-se para a coleta dos dados uma ficha de caracterização dos participantes e entrevista semiestruturada. Foram entrevistadas nove profissionais de saúde que trabalham em uma Unidade Neonatal. Foram encontradas duas categorias de análise: Experiências em relação ao preparo profissional e Experiências em relação a protocolos de comunicação de más notícias. Os resultados apresentaram que a maioria dos profissionais de saúde não sente preparada para comunicar más notícias e baseiam-se em experiências pessoais ou profissionais. Destaca-se também a não utilização de protocolos/embasamento teórico, porém existe reconhecimento dessa importância. Conclui-se que é essencial proporcionar espaço para refletir e analisar as práticas profissionais e agregar subsídios para a comunicação de más notícias, assim como destaca-se a importância da educação continuada.


Palavras-chave


saúde, comunicação, experiências, Unidades de Terapia Intensiva, período neonatal

Texto completo:

HTML PDF

Referências


Alba, R. M., & Fernández, C. R. (2012). El duelo en la infancia y cómo dar malas noticias. Pediatría Integral, 16(6), 494.e1-494.e4. Disponível em http://www.pediatriaintegral.es/numeros-anteriores/publicacion-2012-07/el-duelo-en-la-infancia-y-como-dar-malas-noticias/

Araújo, J. A., & Leitão, E. M. P. (2012). A comunicação de más notícias: Mentira piedosa ou sinceridade cuidadosa. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, 11(2), 58-62. Disponível em http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=327

Bascuñán, M. L. (2005). Comunicación de laverdad em medicina: contribuciones desde una perspectiva psicológica. Revista Médica de Chile, 133(6), 693-698. doi: 10.4067/S0034-98872005000600012 

Borges, M. D. S., Freitas, G., & Gurgel, W. (2012). A comunicação da má notícia na visão dos profissionais de saúde. Revista Eletrônica Tempus: Actas de Saúde Coletiva, 6(3), 113-126. Disponível em http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/15948/1/ARTIGO_ComunicacaoMaNoticia.pdf

Brasil. (2010). Coordenação Geral de Gestão Assistencial. Coordenação de Educação. Comunicação de notícias difíceis: Compartilhando desafios na atenção em saúde. Rio de Janeiro: Instituto do Câncer.

Buckman, R. A. (2005). Breaking bad news: The S-P-I-K-E-S strategy. Community Oncology, 2(2), 138-142. Disponível em http://www.icmteaching.com/ethics/breaking%20bad%20news/spikes/files/spikes-copy.pdf

Cabeça, L. P. F. (2014). Molduras da comunicação de notícias difíceis em UTI neonatal: Sentidos do presente, reflexos para o futuro. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Maranhão). Disponível em https://tedebc.ufma.br/jspui/bitstream/tede/1434/2/LucianaPalacioCabeca.pdf

Cabeça, L. P. F, & Sousa, F. G. M. (2017). Dimensões qualificadoras para a comunicação de notícias difíceis na unidade de terapia intensiva neonatal. Revista Online de Pesquisa: Cuidado é Fundamental, 9(1), 37-50. doi: 10.9789/2175-5361.2017.v9i1.37-50

Campos, C. A. C. A., Silva, L. B., Bernardes, J. S., Soares, A. L. C., & Ferreira, S. M. S. (2017). Desafios da comunicação em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal para profissionais e usuários. Saúde Debate, 41(2), 165-174. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042017s214

Cavalcante, M., Vasconcelos, M., & Grosseman, S. (2017). A comunicação de más notícias por estudantes de medicina: Um estudo de caso. CIAIQ – Atas de Investigação Qualitativa em Saúde, 2, 1642-1653. Disponível em http://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2017/article/view/1517/1474

Cervantes, L. F. L. (2014). Comunicação da morte em uma unidade de terapia intensiva pediátrica: Entendimento e realidade. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Disponível em http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/97257

Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo: Atlas. 

Koch, C. L., Rosa, A. B., & Bedin, S. C. (2017). Más notícias: significados atribuídos na prática assistencial neonatal/pediátrica. Revista Bioética, 25(3), 577-584. doi: 10.1590/1983-80422017253214

Lino, C. A., Augusto, K. L., Oliveira, R. A. S., Feitosa, L. B., & Caprara, A. (2011). Uso do protocolo Spikes no ensino de habilidades em transmissão de más notícias. Revista Brasileira de Educação Médica, 35(1), 52-57. doi: 10.1590/S0100-55022011000100008 

Lopes, C. R., & Graveto, J. M. G. N. (2010). Comunicação de notícias: receios em quem transmite e mudanças nos que recebem. Revista Mineira de Enfermagem, 14(2), 257-263. Disponível em http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/115

Minayo, M. C. S. (2007). O desafio do conhecimento (10a ed.). São Paulo: HUCITEC. 

Monteiro, D. T., & Quintana, A. M. (2016). A comunicação de más notícias na UTI: perspectiva dos médicos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 32(4), 1-9. doi: 10.1590/0102.3772e324221 

Pinheiro, E. M., Balbino, F. S., Balieiro, M. M. F. G., Domenico, E. B. L., & Avena, M. J. (2009). Percepção da família do recém-nascido hospitalizado sobre a comunicação de más notícias. Revista Gaúcha de Enfermagem, 30(1), 77-84. Disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/5345/6566

Rodriguez, M. I. F. (2014). Despedida silenciada: Equipe médica, família, paciente–cúmplices da conspiração do silêncio. Psicologia Revista, 23(2), 261-272. Disponível em https://revistas.pucsp.br/index.php/psicorevista/article/viewFile/22771/16503

Sampaio, L. R., Camino, C. P. S., & Roazzi, A. (2009). Revisão de aspectos conceituais, teóricos e metodológicos da empatia. Psicologia Ciência e Profissão, 29(2), 212- 227. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pcp/v29n2/v29n2a02.pdf

Santos, T. F. C. (2016). Comunicação de más notícias no contexto da UTI neonatal. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco). Disponível em https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/17719/1/Disserta%c3%a7%c3%a3o%20Thaisa%20de%20Farias%20Cavalcanti%20Santos.pdf

Silva, M. J. P. (2012). Comunicação de más notícias. O Mundo da Saúde, 36(1), 49-53. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/comunicacao_mas_noticias.pdf

Strauss, A., & Corbin, J. (2008). Pesquisa qualitativa: Técnicas e procedimentos para o desenvolvimento da teoria fundamentada (2a ed.). Porto Alegre: Artes Médicas. 




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/pssa.v0i0.690

ISSN: 2177-093X


Indexada em:

   

 

 

     

  

 

  

Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.