Práticas Desenvolvidas por Psicólogos em Serviços de Atenção Psicossocial: Revisão de Literatura

Stephannie Assenheimer, Renata Fabiana Pegoraro

Resumo


Este artigo tem por objetivo geral mapear as práticas dos psicólogos nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) por meio de uma revisão integrativa de literatura publicada entre 2005 a 2014, em periódicos indexados nas bases de dados on-line Scielo, Biblioteca Virtual em Saúde e Redalyc, a partir das palavras-chave: Psicologia, Psicólogo, Centros de Atenção Psicossocial. A amostra foi composta por 12 artigos publicados de 2005 a 2012, cujas respostas à pergunta norteadora foram agrupadas em função das temáticas abordadas: (1) Atividades desenvolvidas pelo psicólogo nos CAPS; (2) A formação do psicólogo para o trabalho no CAPS e a necessidade de capacitação profissional; (3) Concluímos que é urgente o investimento em Educação Permanente e dos Cursos de Psicologia revejam o ensino das disciplinas sobre saúde pública.


Palavras-chave


psicólogo, Centros de Atenção Psicossocial, educação permanente, trabalho em equipe

Texto completo:

HTML PDF

Referências


Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70.

Benelli, S. J., & Costa-Rosa, A. (2003). Geografia do poder em Goffman: vigilância e resistência, dominação e produção de subjetividade no hospital psiquiátrico. Estudos de Psicologia (Campinas)20(2), 35-49. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2003000200004

Belotti, M., Quintanilha, B. C., Tristão, K. G., Ribeiro Neto, P. M., & Avellar, L. Z. (2017). Percepções sobre o processo de trabalho em um Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil. Trends in Psychology25(4), 1547-1557. doi https://dx.doi.org/10.9788/tp2017.4-04pt

Brasil. (2002). Portaria n. 336/GM, de 19 de fevereiro de 2002. Estabelece CAPS I, CAPS II, CAPS III, CAPS i II e CAPS ad II. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002.html

Brasil. (2009).  Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Disponível em http://portal.anvisa.gov.br/documents/33856/396770/Pol%C3%ADtica+Nacional+de+Educa%C3%A7%C3%A3o+Permanente+em+Sa%C3%BAde/c92db117-e170-45e7-9984-8a7cdb111faa

Brasil. Ministério da Saúde. (2011a). Portaria n. 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html.

Brasil. (2011b). Ministério da Educação. Resolução Nº 5, de 15 de março de 2011. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia, estabelecendo normas para o projeto pedagógico complementar para a Formação de Professores de Psicologia. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=7692-rces005-11-pdf&Itemid=30192 .

Brasil. (2015).  Ministério da Saúde. Saúde Mental em Dados 12. Informativo Eletrônico 10(12) . Disponível em http://www.otics.org/estacoes-de-observacao/saude-mental/acervo/arquivos/saude-mental-em-dados-12/view

Campos-Brustelo, T. N, Bravo, F. F., & Santos, M. A. (2010). Contando e encantando histórias de vida em um centro de atenção psicossocial. SMAD. Revista eletrônica saúde mental álcool e drogas, 6(1), 01-11. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-69762010000100007&lng=pt&tlng=pt..

Cantele, J., Arpini, D. M., & Roso, A. (2012). A Psicologia no modelo atual de atenção em saúde mental. Psicologia: Ciência e Profissão, 32(4), 910-925. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932012000400011

Capacitação. (n.d.). In Dicionário Priberam da Língua Portuguesa On-line. Disponível em   http://www.priberam.pt/dlpo/capacita%C3%A7%C3%A3o 

Cedraz, A., & Dimenstein, M. (2005). Oficinas terapêuticas no cenário da Reforma Psiquiátrica: modalidades desinstitucionalizantes ou não?. Revista Mal Estar e Subjetividade, 5(2), 300-327. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482005000200006&lng=pt&tlng=pt.

Conselho Federal de Psicologia. (2009). Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas. Práticas profissionais dos (as) psicólogos (as) nos centros de atenção psicossocial. Disponível em http://www.twiki.ufba.br/twiki/pub/CetadObserva/Outros/Livro_CAPS_Psicologo.pdf.

Conselho Federal de Psicologia. (2013). Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas. Referências técnicas para atuação de psicólogas (os) no CAPS -  Centro de Atenção Psicossocial. Disponível em http://site.cfp.org.br/publicacao/referencias-tecnicas-para-atuacao-de-psicologasos-no-caps-centro-de-atencao-psicossocial/

Cruz, K. S., & Fernandes, A. H. (2012). Dispositivos clínicos dos psicólogos em CAPS de Salvador: Entre tutela e clínica das psicoses. Revista Psicologia e Saúde, 4(2), 94-105. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-093X2012000200002&lng=pt&tlng=pt.

Jucá, V. J. S., Medrado, A. C., Safira, L. G., Mascarenhas, L. P., & Nascimento, V. G. (2010). Atuação psicológica e dispositivos grupais nos centros de atenção psicossocial. Mental, 8 (14), 93-113. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-44272010000100006

Lara, G. A., & Monteiro, J. K. (2012). Os psicólogos na atenção às psicoses nos CAPS. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 64(3), 76-93. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672012000300006&lng=pt&tlng=pt.

Larentis, C. P., & Maggi, A. (2012). Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas e a Psicologia. Aletheia, (37), 121-132. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942012000100009&lng=pt&tlng=pt.

Lemos, P. M., & Cavalcante Júnior, F. S. (2009). Psicologia de orientação positiva: Uma proposta de intervenção no trabalho com grupos em saúde mental. Ciência & Saúde Coletiva, 14(1), 233-242.  doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000100029

Mendes, K. D. S, Silveira, R. C. C. P, & Galvão, C.M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto - Enfermagem, 17(4), 758-764.  doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Mota, V. A., & Costa, I. M. G. (2017).  Relato de experiência de uma Psicóloga em um CAPS, Mato Grosso, Brasil. Psicologia: Ciência e Profissão37(3), 831-841. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1982-3703004292016

Paulon, S. M., Gageiro, A. M., Costa, D. F. C, Londero, M. F. P, Pereira, R. G., Mello, V. R. C., & Rosa, R. H. (2011). Práticas clínicas dos profissionais 'PSI' dos Centros de Atenção Psicossocial do Vale do Rio dos Sinos. Psicologia & Sociedade, 23(spe), 109-119doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822011000400014

Pompeo, D. A, Rossi, L. A, & Galvão, C. M. (2009). Revisão integrativa: etapa inicial do processo de validação de diagnóstico de enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem22(4), 434-438. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002009000400014

Ramminger, T., & Brito, J. C. (2011).  "Cada Caps é um Caps": Uma coanálise dos recursos, meios e normas presentes nas atividades dos trabalhadores de saúde mental. Psicologia & Sociedade23(spe), 150-160. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822011000400018

Sales, A. L. L. F., & Dimenstein, M. (2009a). Psicologia e modos de trabalho no contexto da reforma psiquiátrica. Psicologia: Ciência e Profissão29(4), 812. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932009000400012

Sales, A.L.L.F., & Dimenstein, M. (2009b).  Psicólogos no processo de reforma psiquiátrica: práticas em desconstrução?.Psicologia em Estudo14(2), 277-285. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722009000200008

Soares, C. B., Hoga, L. A. K., Peduzzi, M., Sangaleti, C., Yonekura, T., & Silva, D. R. A. D. (2014). Revisão integrativa: conceitos e métodos utilizados na enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP48(2), 335-345.

Souza, L. G. S., & Pinheiro, L. B. (2012). Oficinas terapêuticas em um Centro de Atenção Psicossocial: álcool e drogas. Aletheia, 38-39, 218-227. Disponível em  http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942012000200018&lng=pt&tlng=pt.

Vasconcelos, E. M. (2004). Mundos paralelos, até quando? Os psicólogos e o campo da saúde mental pública no Brasil nas duas últimas décadas. Mnemosine, 1(0), 73-90.  Disponível em http://www.mnemosine.com.br/ojs/index.php/mnemosine/article/view/22




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/pssa.v0i0.652

ISSN: 2177-093X


Indexada em:

   

 

 

     

  

 

  

Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.